20 de fevereiro de 2013

Governo de Brasília tira dinheiro da saúde e da educação para construir estádio

crsitovam19fev2013
Para a construção do novo Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o governo do Distrito Federal está deixando de fazer diversas obras e melhorias, como creches, aperfeiçoamentos viários, salas de aula e unidades de saúde para construir um estádio superluxuoso, alertou o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) na noite desta terça-feira (19).
De acordo com o senador, o novo estádio brasiliense para a Copa do Mundo de 2014 já se configura como “o mais caro estádio do mundo inteiro”, com custo estimado em R$ 1,5 bilhão. Desse total, afirmou Cristovam, R$ 100 milhões foram retirados de recursos públicos destinados a áreas que influem diretamente na vida da população do Distrito Federal.
Esses R$ 100 milhões, acrescentou o senador, foram retirados de obras de urbanização, construção de creches, aterros sanitários, drenagem pluvial, unidades habitacionais, segurança pública, obras viárias, ciclovias, recuperação de rodovias, ampliação do metrô, construção de centro de tecnologia da informação e espaço cultural, unidades de pronto atendimento e salas de aula, dentre outras obras e serviços públicos.
- É lamentável que nós estejamos caminhando para uma cidade que tinha a sua qualidade de vida, mas que vai piorando. E o dinheiro que podia ser usado para melhorar essa qualidade de vida é usado em prioridades equivocadas, especialmente a prioridade de um superluxuoso e caro estádio, que começou com um valor e agora já está em quase o dobro, que já está como o mais caro estádio do mundo – disse em Plenário.
Em apartes, os senadores Sérgio Souza (PMDB-PR) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) elogiaram o pronunciamento do colega. Eles lamentaram que o governo de Brasília esteja retirando recursos de áreas como segurança pública e educação para destinar à construção do estádio.
Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário